segunda-feira, 28 de maio de 2012

Casamento ou casamento? Eis a questão...




Cada vez mais perto do grande dia e conseqüentemente muito mais decisões sendo tomadas. Queria saber se todas as noivas são como eu, ou toda essa confusão se dá porque sou uma pessoa extremamente indecisa e curiosa. Se ser indecisa em frente as várias opções que se dispõe já é um problema, tudo só piora com fato de que não me canso de pesquisar e buscar novidades, fornecedores, contatos. É de enlouquecer quando sei que meu prazo chegou ao fim e preciso, definitivamente, decidir.

O post de hoje é quase uma reflexão. Apesar de que, quando construí o blog a palavra “surto” apareceu algumas vezes, e olha que eu nem sabia o que era surtar realmente, mas vamos aos fatos...

Estávamos o Alex e eu, atirados no sofá, cada um com o seu computador, pesquisando e avaliando coisas do casamento em pleno sábado a noite (tudo bem que o vinho acompanhado do jantar maravilhoso do meu amor foi ótimo, mas já não precisávamos ocupar o nosso sábado com isso). Era domingo à tarde e eu continuava naquela perseguição de bolos, noivinhos, lembrança, músicas – com várias revistas e marcadores de página agora ao meu redor – quando olhei para o lado e meu amor estava jogando Angry Birds (pra quem não conhece é um joguinho bem bobinho, mas sim, divertido). Pedi para ele gravar uma música pra mim e ele disse que não conseguiria. Eu já com os nervos gritando com a ansiedade fechei a cara. Foi aí que tive que ouvir o Alex para ver o quanto eu estava (estou?) obcecada por buscar o tempo todo coisas do casamento.

Após me fazer desligar o computador, juntar as revistas, fazer um cafuné na minha cabeça e me desconectar do mundo ao assistir nosso seriado favorito, relaxei e senti uma tremenda dor nas costas. Sim, eu mesma me questionei: precisa de tudo isso? Foi aí que entramos numa reflexão que valeu a pena acontecer para que eu trouxesse para vocês: o realmente é o casamento?

A melhor forma a se pensar é como os americanos, não é a toa que eles usam duas palavras distintas para referenciar o casamento. Chamam de “Marriage” a instituição do casamento, a união entre o casal, e de “Wedding” a festa, a cerimônia, a comemoração desse grande dia...

O que realmente importa? “Marriage”, fato! Como um dia me disse a Márcia, uma noivinha-leitora muito querida aqui do blog: “Não nos esqueçamos do amor”, é ele o responsável por todas as nossas noites em claro (e não os tipos de doce), pelos nossos momentos de felicidade  (e não por ter fechado com o melhor buffet), daqueles que não conseguimos dividir com os outros porque são impossíveis de transcrever com a intensidade que acontecem . O Amor vem antes da escolha do decorador, vem antes da data na igreja e muito antes da pista de dança que animará os convidados. E o “Wedding”? Feliz de quem pode, da sua forma, dividir essa felicidade da celebração do casamento com as pessoas que ama, com os amigos queridos e pessoas que torcem pela felicidade do casal. Cada um com seu estilo, com seu propósito,do seu jeito.... cabendo no coração (e no orçamento) tudo é possível.

Aliás, prometo parar de corrigir quem me chama de “noiva do ano”, sempre pensando que meu casamento não terá a pompa e o glamour que gostaríamos. Pés no chão e determinação sempre, sim! Mas vou aderir a idéia que me colocou a Jú, uma amiga já casada: “ a noiva do ano é sempre a gente”, até porque só nos sabemos o quanto nos preparamos para o grande “Sim”.

"Amor não tem hora, não importa idade, não exige nada, só felicidade
Olhar verdadeiro, abraço carinhoso..."


Beijos da noiva “neurótica” do ano





Josi





Um comentário: