terça-feira, 13 de novembro de 2012

Já?



Faz um mês, dá pra acreditar?

Quem diria que assim como a noite de 13 de outubro o tempo também passaria voando. Eu ainda não consegui trazer todas as minhas coisas para a “nossa” casinha. Aliás, se estão em dúvida sobre como está a minha vida de casada, posso responder com toda convicção que está ótima...e espero que assim continue!

Vou aproveitar que faz um mês do dia mais importante da minha vida e contar para vocês como foi acordar e pensar: é hoje! Talvez eu consiga descrever emoção que eu senti no meu dia de noiva.

A sexta-feira havia sido tumultuada, muito tumultuada. Passamos o dia no local da festa carregando e planejando detalhes finais com o cerimonialista, tivemos ensaio com o padre, ensaio da dança (no qual o noivo esqueceu simplesmente tudo!) e pra completar saiu uma ferida na minha boca. Eu cuidando para não elevar meu nível de stress e acontece isso. De pouco em pouco eu me pegava chorando.

Alex e eu fomos dormir quando já se passavam pelo menos uma hora do dia 13. Sim, nós dormimos juntos ao contrário do que fazem a maioria dos casais nessa situação. As 6 horas da manhã, nenhum dos dois mais conseguia dormir, estávamos ansiosos, muito ansiosos pelo dia que começava. Ficamos conversando um pouco sobre a importância daquele dia, imaginando como seria, foi muito bom. O Alex se levantou e eu fiquei na cama um pouco ainda antes de ir para o salão de beleza. Foi quando recebi o primeiro dos muitos sms do dia: “já viram que dia lindo Deus preparou para vocês?”. Saí correndo do quarto, tinha um sol lindooooo e nada de nuvens. Tempo é uma coisa impossível de controlar, mas minha felicidade ao ver aquele dia abençoado não poderia sido melhor.

Fui para o salão, começar o dia com meus queridos da Casa Nilo Beauty, a mamãe, a maninha, a sogrinha e as madrinhas Fabíula, Daniela e Daiane. Eu ainda estava meio “chorosa”, estressada com a ferida na minha boca. Foi quando recebo um buquê lindo de rosas vermelhas do aniversariante do dia, meu quase marido. Que mulher não se sente melhor e feliz ao receber flores, não é mesmo? Aquilo me acalmou um pouco.

Dani's, eu e o buquê.


Saí do salão com meus rolos estilo Dona Florinda e fui almoçar com meus pais. Encontrei muitos amigos e conhecidos nesse almoço, que insistiam alegremente em me lembrar: é hoje! E eu pensava “será mesmo?”. Após o almoço arrumei algumas coisas ainda, provamos a roupa na daminha que era de fora e lembrei que tinha uma loja de noivas em Lajeado que eu ainda não havia contatado. Sim, tinha um detalhe que eu ainda não havia conseguido: eu queria usar luvar curtas e transparentes na igreja. Telefonei pra loja e tive que ouvir que eles tinham a luva, mas não podiam alugar apenas a luva, era só para quem alugava os vestidos. Dá pra acreditar?! Insisti, mas nada adiantou. Aquilo não estragaria meu look, mas eu queria muito, muito mesmo. Uma pena!

Voltei ao salão. Naquele momento todos diziam que eu estava muito calma, e eu estava mesmo. Àquela altura eu já era só felicidade. Brindei e ri muito com minhas madrinhas, meu cabelo e maquiagem estavam lindos, coloquei meu vestido de noiva e me senti uma princesa. Sim, era o grande dia, agora eu tinha certeza. 

Dani Dalcin, Fê(maninha), mãe e eu.

Dani Dalcin, Fabí, eu e Dani Petter. Brindes intermináveis.

Cleide colocando meu véu.

Léo Katz, o motorista da noiva.

Com todas as madrinhas do religioso, brindando na Casa Nilo Beauty.




O relógio andava muito rápido, num piscar de olhos vi todos rumarem a igreja e eu feliz, entrar no carro do querido do Léo Katz, o responsável por me levar para a cerimônia, ou não..rs “Josi, tu tem certeza que não quer desistir?rs”. Não, eu não queria mesmo!

De perto da igreja vi o Alex e a sogrinha entrarem, além do pajem e das daminhas mais fofos do mundo. Vi a porta da igreja se fechar... abriram a porta do carro. Duas coisas que lembro nessa fração de segundos: o câmera pedindo para que eu mandasse uma mensagem para o Alex, e o cerimonialista me perguntando “está pronta?”. Foi eu responder “sim” que senti meu coração disparar aos primeiros acordes na marcha nupcial e a porta principal da igreja se abrir. “Tan, tan, tan, tan, tan....”, me lembro de pensar “será que estou entrando na igreja mesmo?”. Meu paizinho querido, ficou tão nervoso que não caminhava. Nunca achei tão longo o corredor de uma igreja, pensava até que a música terminaria e não chegaríamos lá. 



Com o papai, em frente à igreja.

"tan, tan, tan, tan, tan..."




A maior recompensa? Ser recebida no altar por um noivo que se acabou de tanto chorar. Emoções mil. 






Foi incrível!







Boa semana a todos!


Josi

4 comentários:

  1. Nossa, Josi, cheguei agora e você me recepciona em seu blog me fazendo chorar? Rs... Nossa, linda a forma como você narrou todo esse dia! Que coisa linda... E você estava lindíssima também, uma princesa mesmo! Amei tudo! Que dia especial... Vou futricar mais o blog rs... E seguir para ver o que mais vem por ai, beijos!

    ResponderExcluir
  2. aiii Josi...
    chorei muitooo lendo esse post... que lindo!!!!

    ResponderExcluir
  3. Não sei nem o que comentar... Simplesmente lindo demais tudo isso que tu escreveu amiga! te amo, morro de orgulho de ti, e te desejo a felicidade mais absurda que possa existir no planeta!

    ResponderExcluir
  4. Josi que lindo esse post! E o tempo voa mesmo né? Fotos incríveis! Você realmente estava uma noiva maravilhosa! Beijos!

    ResponderExcluir